23 setembro 2014

Sou assim, o que posso fazer?



 Não é fácil botar no papel o que você pensa, muito menos o que você sente. E não é pra menos, na nossa cabeça se passa um turbilhão de pensamentos por segundo, e no nosso coração, bom.. uma mistura louca de coisas boas e más. Traduzindo: como vamos passar para o papel, aquilo que nem nós mesmos entendemos?
  Quando eu era menor eu escrevia por diversão, porque assim eu estava conversando com alguém sabe? Nunca gostei de contar sobre mim pra ninguém, nem mesmo contar sobre o meu dia, pra mim sempre foi mais difícil fazer essas coisas que os outros normalmente fazem, então eu escolhia o papel como meu melhor amigo, contava do meu dia para ele, e no fundo eu sei que ele me respondia e me dava os melhores conselhos, porque no fim, eu mesma acabava me entendendo e resultando nos melhores conselhos para mim mesma.
  Hoje em dia, passar pro papel requer um pouco mais de paciência, porque os sentimentos e pensamentos que antigamente pareciam tão certos pra mim, hoje virou uma mistura aqui dentro, que nem mesmo escrever mil textos me ajudariam a arrumar essa bagunça. Os meus sonhos são silenciosos e os meus sentimentos estão trancados a sete chaves, não sei o que me fez ficar tão receosa quanto a isso, mas espero que isso passa logo. Aliás, fico preocupada, meus amigos dizem que um dia eu vou explodir guardando tanta coisa só pra mim, e eu respondo com um simples sorriso de lado, porque no fundo sei que essa possibilidade existe, mas me entendam, eu não sei como mudar isso. Sou assim. O que posso fazer?
  Meu amigo, admiro você que fala o que pensa e demonstra o que sente, você é corajoso amigo.
                                                    (autor: eu, em uma madrugada cansada de segunda feira)

Nenhum comentário:

Postar um comentário